segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Projeto da Geologia recebe apoio da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão

Pesquisa é a única do Brasil selecionada até o momento para monitorar desastres ambientais

Deslizamentos de terra e enchentes provocados por chuvas intensas, como as que ocorreram na Região Serrana do Rio de Janeiro nos últimos dois anos, estão entre as preocupações de pesquisadores de várias partes do mundo. Para incenti-var projetos de prevenção que impeçam

ou reduzam a incidência de tragédias desse tipo e estimular estudos sobre impactos ambientais naturais, a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA, na sigla em inglês) lançou um edi-

tal internacional para selecionar projetos de vários países que trabalhassem com a utilização de imagens de radar instalado em um satélite da Agência, o ALOS-2, no desenvolvimento de ações de monitoramento ambiental. O professor Francisco Dourado, da Faculdade de Geologia, teve conhecimento dessa iniciativa da JAXA durante curso sobre monitoramento de desastres ambientais utilizando dados de sensoriamento remoto, organizado pela Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) no final de 2012. Interessado em participar da pesquisa facilitada pelo novo satélite, que capta imagens de radar com melhor resolução, o professor submeteu pela Universidade “um projeto envolvendo três áreas de trabalho: duas para monitorar movimentos de massa e enchentes (uma no Rio de Janeiro e outra no Paraná) e a terceira para monitorar o desmatamento no sul da

Amazônia comparando imagens de radar com imagens ópticas do satélite francês SPOT, objeto de cooperação estabelecida com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e a Universidade de Rennes, na França”, explica Dourado.

Fonte:Publicações UERJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário